terça-feira, 7 de janeiro de 2014

A Música pode ser mais eficaz do que alguns medicamentos

Tendo em conta algumas conclusões de um estudo de dois psicólogos da Universidade de McGill (Canadá), a música tem efeitos neuro-químicos que podem melhorar o sistema imunológico, reduzir os níveis de ansiedade e, até, regular o humor.

Segundo esta pesquisa, algumas músicas podem elevar a produção de imunoglobulina A (um tipo de anticorpo) e de glóbulos brancos, responsáveis por atacar invasores (como bactérias e germes).

Estes cientistas descobriram que ouvir ou, até, mesmo, tocar música pode contribuir para reduzir os níveis de cortisol (a hormona do stress) e elevar os níveis de oxitocina, uma hormona relacionada com o bem-estar. Desta forma, melhora-se o humor e facilitam-se as interações sociais.
Músicas mais lentas com melodias suaves tendem a ser mais relaxantes e tranquilizantes do que músicas com um ritmo mais acelerado.

Os cientistas Chanda e Levitin fizeram uma análise de mais de 400 pesquisas que associam a música a processos neuro-químicos específicos. Existem diversos estudos que mostram que a música pode até mesmo ajudar no controlo da dor.

Esta dupla canadense propõe que os médicos e terapeutas comecem a levar a ação da música mais a sério. A título de exemplo, eles esperam que esta possa ser usada como calmante antes de cirurgias.
A pesquisa em causa defende que os tratamentos baseados na música não são invasivos e têm efeitos colaterais mínimos. A par disso, são baratos e "naturais".

Pode ler o artigo original aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário